Calculadoras de carbono para o agroalimentar

Contabilizando todos os recursos consumidos desde a extração das matérias-primas até ao fim de vida do produto, passando pela utilização e consumo do produto, a pegada de carbono permite estimar todas as emissões de gases com efeito de estufa do ciclo de vida do produto. Dependendo do objetivo do cálculo, este exercício pode ser feito com periodicidade anual ou trimestral. Para a gestão de uma empresa, é importante estabelecer um cenário de redução de emissões no médio e longo prazo, que leve à inovação e a novas alternativas que beneficiem mutuamente o consumidor final e a própria empresa. O mais importante, e normalmente o mais difícil, é a primeira medição. Antes do cálculo propriamente dito, é necessário criar um sistema de gestão que, depois de implementado, se traduz em ganhos de eficiência.

Cliquei aqui para saber mais.

ANUÁRIO DA SUSTENTABILIDADE - 2015

O mercado da batata

Nesta edição da VIDA RURAL o nosso artigo de mercados e marketing incidirá sobre a batata, cultura de maior importância a nível global, acompanhando uma vez mais o artigo de nutrição apresentado nas páginas anteriores. A batata, tal como a beringela, o pimento e o tomate, pertence à família das solanáceas, só que, ao contrário destes vegetais – que são adquiridos pelos seus frutos –, é consumida pelos seus tubérculos que se desenvolvem no solo, ricos em minerais, vitaminas e água. Por outro, o artigo de nutrição faz ainda referência à batata-doce que tem vindo a ganhar uma atenção cada vez maior a nível europeu e principalmente nacional, mas que, ao contrário da batata comum, não é nem um tubérculo nem uma solanácea mas sim um rizoma da família das convolvuláceas e igualmente uma das culturas agrícolas mais importantes no mundo e cuja maior expressão se observa em África.

Cliquei aqui para saber mais.

VIDA RURAL - julho/agosto 2015

O mercado do tomate

Chega à edição deste mês da VIDA RURAL o artigo de nutrição sobre o tomate, um dos produtos de referência em Portugal, tanto pelas produções e produtividades alcançadas (muitas vezes a rondar as 100 toneladas por hectare!) como pela qualidade apresentada. Este vegetal, tal como a beringela, o pimento e a batata, pertence à família das solanáceas e apresenta-se como um alimento nutracêutico, funcional, rico em antioxidantes e licopeno, contribuindo para a redução da incidência de cancro, especialmente da próstata, acrescendo ainda que, rico em água e cor, é um ótimo acompanhamento em saladas, pratos ou até mesmo para comer de forma avulsa, como se de uma maçã ou cereja se tratasse.

Cliquei aqui para saber mais.

VIDA RURAL - junho 2015

O mercado das beringelas

O artigo da rubrica de nutrição desta edição da VIDA RURAL diz respeito à beringela púrpura e à beringela branca. Assim, na sequência do que tem vindo a acontecer nas últimas edições, iremos precisamente focar a nossa análise de mercado neste vegetal pertencente à família das solanáceas, a mesma do tomate, da batata e do pimento. A análise dos dados existentes na FAO indica que os maiores produtores de beringela no Mundo, em 2013, foram a China e a Índia, com 28 milhões de toneladas e 13 milhões de toneladas, respetivamente.

Cliquei aqui para saber mais.

VIDA RURAL - maio 2015

Vegetais de folha escura: mais do que aquilo que os nossos olhos - e paladar - alcançam

O artigo desta edição da VIDA RURAL da rubrica Nutrição diz respeito aos vegetais de folha verde-escura, onde se destacam o agrião, as couves, os espargos, os espinafres, as nabiças e a rúcula. No nosso setor normalmente não utilizamos a designação anteriormente referida, ainda que, do ponto de vista da perceção do consumidor, possa parecer bastante elucidativa, uma vez que, quando falamos de um vegetal de folha escura, rapidamente nos vem à cabeça a imagem de pelo menos um ou dois dos vegetais acima referidos cozidos e cobertos com uma bela dose de azeite português.

Cliquei aqui para saber mais.

VIDA RURAL - abril 2015